Quero ajudar meu filho com depressão! O que posso fazer?

por Clínicas Reset Prime Reabilitação em Dependência Química Alcoolismo e Psiquiatria

Entre em contato com Clínicas Reset Prime Reabilitação em Dependência Química Alcoolismo e Psiquiatria

Entre em Contato

Uma das coisas mais preocupantes para as famílias é ter um filho com depressão. O pior de tudo é que, na correria do dia a dia, muitos pais acabam deixando o problema passar despercebido ou não têm total ciência do que está acontecendo com o jovem.

A depressão é uma doença muito séria, que atinge o psicológico da pessoa independentemente de classe social, cor e gênero. Por isso, todos os seres humanos estão sujeitos a passarem por momentos difíceis.

Caso tenha notado alguma mudança de comportamento, principalmente no convívio social ou até mesmo dentro de casa, é hora de observar com mais atenção sua rotina e oferecer ajuda. Você está se perguntando “como ajudar meu filho com depressão”? Continue a leitura para conferir como identificar a doença e de que forma funciona o tratamento!

O que é depressão?

Antes de se perguntar como ajudar seu filho, é importante saber do que se trata a depressão e o que ela pode acarretar na saúde da pessoa. Para começar, estamos falando de uma doença psiquiátrica que deve ser tratada por especialistas!

A depressão assume proporções inimagináveis nos dias de hoje. Isso é explicado por fatores como o ambiente no qual vivemos, o estilo de vida que levamos e as situações em que nos envolvemos — entre outras infinitas questões que podem desenvolver uma sensação intensa de tristeza.

Por se tratar de uma doença, além do tratamento, é preciso ter o diagnóstico de um profissional. Afinal, diversos quadros são confundidos com a depressão, sendo que a forma de lidar com cada um deles pode complicar o quadro do paciente.

Não é difícil encontrarmos pessoas tomando antidepressivos por conta própria, sem sequer terem consultado um médico, por exemplo. Isso pode causar problemas sérios à saúde e, principalmente, levar o paciente ao vício.

Como identificar um filho com depressão, afinal?

Como dissemos, só quem pode dar um diagnóstico preciso é o profissional de saúde. No entanto, há alguns comportamentos que são bem comuns entre os jovens depressivos e podem ser o ponto fundamental para a identificação do problema. Consequentemente, eles indicam a hora certa de buscar ajuda especializada.

Abaixo, separamos alguns desses indícios. Confira!

Mudança de humor

Note se seu filho apresenta tristeza constante, não sorri mais e passa a maior parte do tempo isolado, no quarto. Claro que todos nós passamos por momentos difíceis, choramos, nos sentimos para baixo e buscamos nos confortar sozinhos. Porém, se isso se tornar frequente, requer atenção especial!

Diminuição de interesse em atividades

Seu filho não se interessa por nenhuma atividade mais? Não quer saber de esportes, estudos, cinema, lazer, sair com os amigos, conversar etc.? Tenha atenção a tudo isso. Por mais tímido ou isolado que o jovem seja, não é normal passar a juventude sozinho e sem praticar nada.

Falta de apetite

Outra característica muito marcante na vida de uma pessoa depressiva é a falta de apetite ou, até mesmo, um descontrole na alimentação normal. É comum que o jovem “fuja” de reuniões familiares importantes, como o almoço ou o jantar, para se isolar no quarto. Com isso, normalmente afirma estar sem fome e acaba se alimentando com outras coisas que nem sempre são saudáveis.

Uso de drogas

Na cabeça de muitos jovens, a droga é uma alternativa para se destacar no grupo de amigos, se divertir ou mesmo se “libertar” de seus problemas. Porém, o perigo mora ao lado! Primeiramente, lembre-se de que todo entorpecente pode causar dependência química.

Em segundo lugar, várias drogas já apresentam naturalmente a depressão como um de seus sintomas. A cocaína é um bom exemplo disso: durante o uso, a sensação é de excitação e agitação. Já no dia seguinte, a tristeza e o arrependimento tomam conta da pessoa e as consequências são inimagináveis.

Portanto, se você souber que seu filho usa drogas e já apresenta algum sinal de depressão, não espere o pior acontecer. Busque por ajuda especializada imediatamente.

Como ajudar meu filho com depressão?

Acima, mostramos alguns comportamentos muito comuns entre os depressivos, mas vale reforçar que eles nem sempre se caracterizam como casos de depressão. Ou seja: para se ter certeza da doença, é necessário realizar exames específicos e se consultar com profissionais.

Portanto, seguem algumas dicas do que a família pode fazer ao suspeitar de um filho com depressão.

Nunca optar pela automedicação

Você nunca deve se automedicar ou indicar remédios sem a orientação de um médico. Isso vale para qualquer sintoma — e não poderia ser diferente com a depressão. Utilizar medicamentos errados pode agravar o quadro do paciente, desencadear uma dependência e, até mesmo, causar a morte.

Não ser agressivo

O papel dos pais é compreender e auxiliar o filho com depressão. Sendo assim, não adianta querer forçar o jovem a praticar atividades ou se socializar de uma hora para outra (muito menos por obrigação). O melhor caminho é sempre o diálogo e a compreensão.

Procurar por uma clínica de tratamento

A depressão é uma doença muito séria, portanto é fundamental que seja acompanhada por psicólogos e profissionais especializados no assunto. Por isso, algumas clínicas psiquiátricas podem ajudar bastante no tratamento, já que contam com médicos e atividades terapêuticas eficientes para os mais variados casos da doença.

Procure por esses estabelecimentos em sua cidade e conheça o trabalho desenvolvido, participando de palestras, conversando com os responsáveis e entendendo como funcionam os tratamentos. Sem dúvidas, as clínicas saberão diagnosticar o nível de depressão do seu filho e indicar os melhores métodos para ele se livrar do problema e restabelecer uma vida normal.

Enfim, nem sempre é fácil perceber quando há um filho com depressão em casa, já que se trata de uma doença silenciosa e com causas bem variadas. Muitas vezes, os pais não notam o problema e não percebem o quanto estão afastados de seus filhos devido à vida corrida e agitada.

Porém, as consequências podem ser trágicas. Portanto, não espere acontecer! Converse sempre com seus filhos para saber sobre seus problemas, suas dificuldades e tristezas. Caso desconfie do comportamento apresentado, não deixe de buscar ajuda.

Somos especializados no encaminhamento e tratamento de usuários de drogas. Entre em contato  para conversarmos mais! Contatos:

- Clinicas em todo Brasil
(11) 94748-9103 
(11) 94748-5042 
(12) 99752-2007
(12) 3424-3380
www.clinicasresetprime.com.br

Entre em contato com Clínicas Reset Prime Reabilitação em Dependência Química Alcoolismo e Psiquiatria

Entre em Contato

Comentários

Utilize o Facebook para comentar o Artigo