GUIA DE EMPRESAS
Busque aqui: (produtos, serviços, etc)
Publicidade

Retrospectiva: Taubaté ganha o mundo com André Rocha e Kalindra Faria


Paratleta conquista medalha de ouro em Londres e quebra recordes; lutadora participa pela primeira vez do UFC

Retrospectiva: Taubaté ganha o mundo com André Rocha e Kalindra Faria Kalindra (à esq.) lutou pela primeira vez no UFC; André Rocha conquistou o título mundial no lançamento de disco (Foto: Arte/Divulgação )
Publicado em 29/12/2017 18h00
por Mário Pereira

A Retrospectiva 2017 do esporte taubateano continua com destaques individuais e a despedida de um ídolo. André Rocha, no paratletismo, e Kalindra Faria, do MMA, destacaram-se e conquistaram grandes feitos neste ano. O lado triste ficou pelo falecimento de Zildo Bueno, ícone do esporte municipal e regional.

Volta por cima e título mundial
Um dos taubateanos mais celebrados neste ano com certeza foi André Rocha. O paratleta de Taubaté mostrou que superação é quase um sobrenome e voltou às competições com recordes e conquistas internacionais

Por conta de uma operação na coluna no fim de 2016, André Rocha precisou mudar de categoria. Saiu da F54 e passou para a F52. O início no novo módulo não poderia ser melhor. No Open Athletics Championship, em São Paulo, quebrou o recorde mundial no arremesso de peso. A marca vinha desde 2013, do letão Aigar Apinis.

Em junho, na 1ª Etapa Nacional do Circuito Loterias Caixa, quebrou mais dois recordes. Fez 11,46m no arremesso de peso e 23,09m no lançamento de disco. As marcas garantiriam ao taubateano uma vaga no Mundial de Londres, representando a Seleção Brasileira.

Depois de ter o nome confirmado no time do Brasil que disputaria a competição na Inglaterra, André foi para a Alemanha, onde disputou o Grand Prix de Berlim. Na capital alemã, mais dois títulos e dois recordes quebrados: 11,60 no arremesso de peso e 23,24m no lançamento de disco. Além dele, a equipe taubateana, comandada pelo técnico Guto Nascimento, fez bonito em Berlim. Os paratletas Julio Cesar Leite e Kaian Silva também se destacaram. O primeiro levou uma medalha de cada cor, enquanto o segundo saiu do país europeu com duas medalhas douradas.

Em Londres, André Rocha precisaria passar por Aigar Apinis - o mesmo que detinha recordes mundiais – para conquistar a medalha de ouro para o Brasil. No lançamento de disco, o ex-policial militar quebrou o recorde - o sexto no ano - no último lançamento e faturou o título (). Ele foi recebido em Taubaté com homenagens e desfile em carro aberto pelas ruas da cidade.

Campeão mundial, o taubateano encerrou a temporada com “chave de ouro”. Depois de inúmeras quebras de recordes, a disputa do Circuito Loterias Caixa serviu para André quebrar mais um. No arremesso de peso, o ex-policial alcançou a marca de 11,74m e conquistou o 4º título brasileiro.

Depois dos títulos, o carinho dos torcedores. Indicado ao prêmio Paralímpicos 2017, na categoria “Atleta da Galera”, André contou com a ajuda da torcida de Taubaté e de atletas das equipes de Vôlei, Handebol e Atletismo para ser eleito, com 60,31% dos votos recebidos pela internet.

Depois de um 2017 praticamente perfeito, André Rocha vive a expectativa de manter o nível nos dois próximos anos, para fazer parte da Seleção Brasileira nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, em 2020.

continue depois da publicidade Publicidade

Chance no UFC
Outra atleta de Taubaté que ganhou projeção internacional em 2017, foi Kalindra Faria. A lutadora de MMA (Mixed Martial Arts) alcançou o objetivo que muitos lutadores brasileiras almejam: lutar no UFC (Ultimate Fight Championship), o maior evento da modalidade.

Campeã do Titan FC – evento que credencia a atleta para entrada no UFC – em 2016, a taubateana aguardava um convite para uma luta no UFC, e esse veio para o card preliminar do evento 216, em Las Vegas, nos Estados Unidos. Inicialmente, Kalindra enfrentaria a norte-americana Andrea Lee, mas a adversária já havia testado positivo em exames anteriores de antidoping e, pela regra, foi excluída da luta.

Já em território norte-americano, Kalindra ficou sabendo, há três dias do evento, que estaria no card principal do UFC 216, em luta contra a italiana Mara Romero Borella. Na luta, porém, a brasileira não teve muito tempo para mostrar seu potencial e, em menos de 3 minutos, acabou finalizada pela adversária.

Agora, a lutadora de Taubaté terá a oportunidade de mostrar porque seu cartel é de 18 vitórias, 1 empate e 6 derrotas. No dia 14 de janeiro de 2018, ela sobe ao octógono para o UFC Fight Night, que será realizado em Saint Louis, no estado do Missouri. A adversária será a americana Jessica Eye.

Despedida de um ídolo
Se Taubaté vem ganhando destaque no esporte com atletas como André Rocha e Kalindra Faria, muito se deve à Zildo Bueno. O corredor, ícone do esporte na região, foi um grande incentivador da prática esportiva no município. Em 2017, aos 77 anos, o ex-atleta faleceu, vítima de um infarto agudo no miocárdio.

Há 17 anos, Zildo lutava contra o mal de Parkinson, doença que provoca falta de coordenação dos movimentos. Mesmo assim, o corredor continuou competindo até 2012.

Na Câmara de Taubaté, tramita um projeto de lei que serve de homenagem ao corredor. O texto, de autoria do Executivo, denomina o Terminal Rodoviário de Passageiros de Taubaté (Rodoviária Nova) de Zildo Bueno. O projeto foi aprovado em primeira votação antes do recesso parlamentar deste ano.

espaço publicitário do Guia de Empresas
Bidu Banho & Tosa
Pet Shop e Confecções Pet

Bidu Banho & Tosa

Estética Canina.

(12) 3608-4...

Comentários

Utilize o Facebook para comentar a notícia

Ver todas as noticias