Anuncie sua empresa no Guia de Empresas

Anuncie
GUIA DE EMPRESAS
Busque aqui: (produtos, serviços, etc)
Publicidade

André Rocha supera mudança de categoria e conquista medalha no Parapan


Paratleta foi retirado da classe F53 em que era o atual recordista mundial e favorito ao ouro

André Rocha supera mudança de categoria e conquista medalha no Parapan Paratleta fez todas as 6 tentativas a que tinha direito (Foto: Divulgação)
Publicado em 28/08/2019 14h15
por Redação/ Guia Taubaté

Após precisar trocar de categoria nos Jogos Parapan Americanos de Lima, André Rocha conquistou a medalha de bronze no Arremesso de Peso. O paratleta passou por um processo de reclassificação que o tirou da classe F53 – na qual era o atual Recordista Mundial e franco favorito ao Ouro -, para a F54, na qual teve de competir nesta terça-feira (27).

Na final, André foi o terceiro competidor a entrar em ação, e como determina a regra das provas de arremessos e lançamentos para as classes de cadeirantes, fez todas as 6 tentativas a que tinha direito.

O taubateano abriu com 7,16m. Na segunda tentativa, subiu para 7,59m. No terceiro arremesso, atingiu 7,99m, ainda abaixo do necessário para entrar na virtual zona de medalha. No quarto arremesso, 7,77m. Na quinta tentativa, 7,68m. E na sexta e última, André foi buscar forças e encaixou um ótimo arremesso que atingiu os 8,53m.

Como se tratou de uma prova com a junção das classes F53 e F54, os resultados para a classificação final da prova funcionam com uma tabela que transforma os metros em pontos (parecido com o sistema utilizado nas provas de decatlo e heptatlo, no atletismo convencional).

Os 8,53m de André Rocha lhe deram 807 pontos e a medalha de Bronze.

O Ouro ficou com o mexicano Johnatan Salinas (F54), que arremessou 10,29m, o que lhe deu 1011 pontos, estabelecendo o novo Recorde Parapan Americano da prova. Salinas torna-se bicampeão Parapan Americano (Toronto 2015/Lima 2019). Em Toronto ele venceu justamente André Rocha, que na ocasião ainda competia na classe F54, antes de passar por cirurgia na coluna cervical.  

A Prata foi para Scot Severn (F53), dos EUA, com 7,92m, totalizando 867 pontos.

Após a prova, André desabafou: “Essa medalha foi uma das mais difíceis que conquistei. Foi na raça, o braço parecia pesado demais, e no último arremesso eu tive de buscar forças que nem eu sei de onde. Foi com muita raiva, na base da superação mesmo. Só tenho a agradecer a todos os que torcem por mim, ao meu treinador, aos profissionais que me dão suporte em Taubaté e na Seleção Brasileira.”

Ainda na noite desta terça-feira, o velocista Felipe Gomes, da classe T11, disputou a semifinal dos 100m rasos. Ele foi 2º colocado em sua bateria, com o tempo de 11.31s, igualando sua melhor marca da temporada. Ele está classificado para a disputa de medalha. A final será nesta quarta-feira, 28/08, às 17h37 (horário de Brasília). Felipe já tem uma medalha de Prata, conquistada na última segunda-feira, nos 400m rasos.

Já nesta quarta-feira (28), o paratleta Alessandro da Silva (classe F11) também entra em ação, no último dia de disputas do Paratletismo em Lima. Ele compete no Arremesso de Peso, em prova marcada para 17h50 (horário de Brasília). Alessandro é o atual Campeão Parapan Americano da prova, e um dos principais favoritos ao Ouro.


 

espaço publicitário do Guia de Empresas
Laboratório Oswaldo Cruz
Laboratórios

Laboratório Oswaldo Cruz

Tradição e seriedade a serviço da boa medicina!

(12) 2123-9...

Comentários

Utilize o Facebook para comentar a notícia

Ver todas as noticias