ESPECIAL CORONA VÍRUS

Acesse
GUIA DE EMPRESAS
Busque aqui: (produtos, serviços, etc)
Publicidade

Taubaté adere ao ‘Janeiro Roxo’ na prevenção à hanseníase


Entre janeiro e 12 de dezembro de 2019, cidade teve 19 registros da doença

Taubaté adere ao ‘Janeiro Roxo’ na prevenção à hanseníase Doença deve ser tratada em tempo, para que não cause sequelas irreversíveis (Foto: Divulgação)
Publicado em 06/01/2020 13h05
por redação/ Guia Taubaté

O ano de 2020 começa em Taubaté com a cidade aderindo a campanha Janeiro Roxo. O objetivo é estimular a conscientização dos taubateanos quanto a casos de hanseníase.

A doença tem cura, mas se não for diagnosticada e tratada em tempo, pode provocar sequelas irreversíveis.

O Brasil é o segundo país com mais casos de hanseníase, atrás apenas da Índia. Por ano, são registrados perto de 30 mil casos da doença, nos vários estados brasileiros e dentre as várias classes sociais, incluindo adultos e crianças.

Em Taubaté, a Vigilância Epidemiológica indica que foram registrados desde 2017 um total de 56 casos da doença. De janeiro a 12 de dezembro de 2019 foram 19 registros.

Os casos suspeitos são encaminhados pelo médico das unidades básicas de saúde ou por especialistas para avaliação dermatológica no Ambulatório Municipal de Infectologia (AMI).

Durante o Janeiro Roxo estão previstas a realização de exames, ações de conscientização nas unidades de saúde e divulgação do tema nas redes sociais.

A doença

Os principais sinais da doença são manchas esbranquiçadas ou avermelhadas na pele, alteração ou perda da sensibilidade ao calor, frio, dor e ao toque. O doente de hanseníase também pode ter áreas de dormência e sensação de formigamento e fisgadas no corpo, além de diminuição da força muscular, podendo apresentar dificuldade para segurar objetos.

A doença pode provocar o surgimento de caroços e placas em qualquer local do corpo e diminuição da força muscular. A hanseníase é a doença infecciosa que mais cega. Se for diagnosticada a tempo, as sequelas podem ser controladas e o paciente terá uma vida normal.

Os exames de laboratório conseguem identificar menos de 50% dos casos, mas a SBH alerta que o exame clínico é suficiente para o diagnóstico.

espaço publicitário do Guia de Empresas
Supergraf Paper
Gráficas

Supergraf Paper

Impressão de panfletos, folders, cartazes, timbrados, cartões de visita bopp, convites de casamento,...

(12) 3622-1...

Comentários

Utilize o Facebook para comentar a notícia

Ver todas as noticias